Português Italian English Spanish

Quem somos


A RMJ – Rede Municipal de Jornalismo, é uma  empresa que uniu o Jornal Mensagem e a TVMont, criando a maior empresa de comunicação da cidade de Santos Dumont - MG.

RMJ

Rede Municipal de Jornalismo

PORTAL 14B

A ideia de criar a Rede Municipal de Jornalismo, unindo os mais tradicionais jornais do município, Jornal Mensagem e TVMont, que sempre foram referência de informação com credibilidade na cidade, surgiu da vontade de, também, dar voz à toda região. Ligada às novas tecnologias e buscando uma interlocução forte e dinâmica com toda população, a RMJ atingirá todos os meios de comunicação disponíveis. Os jornalistas Rodrigo Sá e Marco Evangelista se uniram, ainda, à Free produções, do Produtor Jonas Lima. E, assim, nasceu o primeiro fruto dessa união: O PORTAL 14B.

Por que um Código de Ética?

 

A maior parte  dos  códigos  que  conhecemos  é  “de  moral”.  A  moral é exatamente o conjunto de normas, regras, leis que orienta a vida dos indivíduos  e  grupos  na  sociedade,  configurando  o  que  se  chama ethos, a marca da sociedade, o jeito de viver e se relacionar, baseado em determinados valores.

A ética é um olhar crítico sobre o  ethos,  uma  reflexão  que  pergunta pelo  fundamento  e  pela  coerência  dos  valores.  É no espaço da ética que se encontram os princípios que devem sustentar as normas e as leis.

Podemos perceber, então, que a moral tem um caráter particular, na medida em que o ethos - os costumes, as leis, as normas – varia de uma  sociedade  para  outra, de uma época para outra. Já a ética guarda um  caráter  universal –  seus  princípios  têm  como  referência última a dignidade humana, o bem comum.

Portanto, ao buscarmos um código de ética, devemos contemplar nele a perspectiva reflexiva.  Aí devem ser explicitados os princípios, que serão referência para as ações.  Na medida em que não se pode deixar de lado a prática do cotidiano, o código trará indicações para a realização adequada dessas ações, servindo como recurso para avaliá-las.

As normas e regras que uma organização estabelece para o trabalho de seus diretores e funcionários se explicitam de forma específica em um Regimento ou um Código de Regulação. Esse regimento terá tanto mais possibilidade de ser aceito quanto mais estiver sustentado em  princípios éticos. Daí o significado de se construir um Código de

Ética, no qual se apresentem os princípios norteadores das ações da organização, que se querem válidos não apenas em seu interior, mas no contexto global da sociedade.

Assim  como  a  vida  social,  à  qual  se  refere,  o  código  não  é  algo estático,  estabelecido  de  uma  vez  por  todas.  O olhar  crítico  sobre  a prática  e sobre  o próprio  código permitirá  que  se façam, ao longo do tempo, revisões e transformações na direção dos objetivos desejados.

“Quando o outro entra em cena, nasce a ética”. - Umberto Eco

Apresentação

A RMJ – Rede Municipal de Jornalismo, é uma  empresa que uniu o Jornal Mensagem e a TVMont, criando a maior empresa de comunicação da cidade de Santos Dumont - MG, que atuará também como agência de comunicação, que prestará serviços integrados nas áreas de diagnóstico,    planejamento e implementação de programas de comunicação, relações com a imprensa, relações, relações com o público interno, relações com a comunidade, propaganda institucional, edição de  publicações, comunicação interativa, programação visual e vídeos empresariais.

Em virtude da diversidade e da complexidade dos serviços que oferece, assim como da pluralidade de relações que estabelece com clientes e públicos de diferentes naturezas, julgamos importante explicitar os princípios que devem nortear o trabalho e as relações na RMJ. Partimos do pressuposto de que a conduta ética dos profissionais das empresas de  comunicação  é  importante  para  o aprimoramento da qualidade de seus serviços, para o desenvolvimento das  organizações para as quais prestam serviços e, conseqüentemente, para a construção da sociedade.

Temos, portanto, necessidade de exercer nossas atividades com responsabilidade. Somente com vigilância perante nossas próprias ações poderemos desempenhar o papel de empresas-cidadã e contribuir com nosso trabalho para a transformação  da   sociedade  na  direção  do  bem comum.

Este Código define e explicita nossa postura profissional a todos com quem nos relacionamos: concorrência, clientes, comunidade, imprensa, funcionários.

Princípios

A RMJ têm  suas  ações  norteadas pelos seguintes princípios:

– O respeito como base de todos os relacionamentos. Isso implica o reconhecimento à existência do outro e a defesa da dignidade da pessoa humana.

– A justiça, cujo significado é igualdade na diferença, defesa do exercício dos direitos de todas as naturezas por todos os indivíduos e segmentos da sociedade.

– A solidariedade, sinônimo de empenho na promoção de ações favorecedoras do crescimento e realização de todos e cada um.

– O diálogo, como partilha e confronto de idéias, na perspectiva da ampliação do conhecimento e do enriquecimento coletivo da cultura.

Esses princípios, estreitamente articulados entre si, podem ser reconhecidos pela presença dos seguintes valores nas atitudes de nossos profissionais:

–  A honestidade e a retidão na condução de nossos negócios.

– A responsabilidade na realização de ações de efetivo benefício coletivo.

– A busca da excelência, expressa na qualidade social de nossos produtos e serviços.

– O compromisso com a busca da verdade e a defesa rigorosa de sua presença nas relações internas e externas de trabalho.

– A humildade e a coragem no enfrentamento dos desafios.

– A integridade na construção e preservação do nosso patrimônio e de nossa imagem na sociedade.

– A clareza e a precisão na divulgação de informações, sem prejuízo da confidencialidade, o empenho na criação de estruturas e canais de comunicação que favoreçam e promovam a livre circulação de informações.

Relacionamentos

 

1.  Concorrência

Todo o trabalho da RMJ é feito com base no respeito às leis que regulam a concorrência. Nossa competitividade deve se sustentar em nossa capacidade de gestão empresarial e de negociação junto aos clientes.

2. Clientes

A atuação competente das empresas de comunicação revela-se na observância dos seguintes preceitos:

a.  Dar ao cliente todas as informações concernentes ao trabalho a ser realizado, explicitando as atribuições  específicas  das  empresas de comunicação e dos profissionais com  que  elas  se  relacionam, definindo a qualidade e a abrangência dos serviços e os compromissos  e  responsabilidades  profissionais,  a  fim  de  que  o cliente  possa decidir-se sobre a sua aceitação ou recusa.

b.  Guardar  sigilo  das  informações que  forem  confiadas  à  empresa em  função  do  trabalho  e  não  revelar  assuntos  que  possam  ser lesivos ao seu cliente, a não ser quando se tratar de delitos.

c.  Não utilizar  informações  estratégicas  obtidas  junto  ao  seu  cliente em  benefício  próprio  ou  como  forma  de  barganhar  vantagens  ou benefícios pessoais ou empresariais.

d. Não compactuar com o briefing mentiroso.

e. Em casos de conflitos de interesses, atuar com transparência perante o cliente, esclarecendo-o sobre os dilemas em questão.

f. Não  admitir  discriminação  relativa  a  idade,  sexo,  cor,  raça,  credo religioso, ascendência, etc. no atendimento ao cliente.

g.  Respeitar a estrutura da organização do cliente e o profissional que ele destaca para atendimento ao Portal.

h. Não se apresentar como representante do cliente sem ter autorização para tal.

3. Imprensa

No sentido de estabelecer relações sustentadas pelos valores que defendemos, a RMJ deverá respeitar os códigos de conduta dos veículos de imprensa, sendo vedado:

a.  Admitir   práticas ilícitas que possam levar a  corromper ou a comprometer a integridade dos canais de comunicação ou o exercício da profissão do jornalista, incluindo a  pressão e a compensação aos profissionais.

b.  Disseminar informações falsas, enganosas ou que não possam ser comprovadas por meio de fatos conhecidos e demonstráveis.

c.  Praticar formas de abordagem dos jornalistas que comprometam a imagem da RMJ.

4. Funcionários e colaboradores

Nosso objetivo é criar um ambiente que permita aos funcionários desenvolver o seu trabalho individualmente ou em equipe, com responsabilidade profissional, através do aperfeiçoamento de seus conhecimentos e atitudes, pela melhoria constante de sua competência e bem-estar.

O convívio no  ambiente  de  trabalho  deve  se  alicerçar  na  conduta respeitosa  e  responsável  de  todos  os  profissionais, independente  da posição hierárquica, na busca de um objetivo comum. Deve, portanto, estar livre de ofensas, difamação, exploração de qualquer  natureza, repressão, intimidação, assédio sexual, violência verbal ou não verbal, ou favorecimento, que possam ser vistos como obrigação   ou compromisso pessoal, principalmente se advindos das relações  entre líderes e liderados.

A preservação da saúde e integridade física e psíquica dos profissionais e a promoção da qualidade de vida são valores fundamentais. Para garantir condições de trabalho seguras e sadias é preciso também atitudes responsáveis no cumprimento de leis e normas internas relativas a Medicina e Segurança do Trabalho.

5. Fornecedores

A contratação de fornecedores deve se pautar pelos princípios  aqui definidos, estabelecendo-se, portanto, a preferência pelo trabalho com empresas-cidadãs, possuidoras de boa reputação e adeptas às práticas de responsabilidade social.

As relações com fornecedores deverão pautar-se pela  transparência, pelo respeito aos contratos e pela preocupação com o desenvolvimento técnico e equilíbrio financeiro.

Estão explicitadas neste Código as diretrizes do trabalho da RMJ – Rede Municipal de Jornalismo.  Elas revelam o ideal de uma  atuação competente, de seriedade, sintonia  e integração em torno do objetivo de  construção  de  uma  sociedade  democrática  e  pluralista,  de  uma vida digna e feliz para todos.

O Código é, além disso, referência para a elaboração de um Código de Auto-Regulação ou de um Regimento, nos quais se apresentem indicações normativas para a realização do trabalho de uma empresa de comunicação, considerando-se a peculiaridade de sua organização e a especificidade das demandas com as quais lidam no cotidiano.